#SERIADO: The Miaddle

1022-zoom_20140110164706

A série retrata uma família de classe média, Frankie Heck (Patricia Heaton), casada com Mike Heck (Neil Flynn), residem numa cidade fictícia chamada Orson, Indiana. São pais de Axl (Charlie McDermott), Sue (Eden Sher) e Brick (Atticus Shaffer). Mike é gerente na pedreira local e Frankie é a terceira melhor vendedora de carros usados (de três vendedores).

Mr. Ehlert (Brian Doyle-Murray) é o chefe de Frankie, na “Ehlert Motors”. Bob (Chris Kattan) é o amigo de Frankie na concessionária onde trabalham. A família Heck é mostrada muito frequentemente em frente a televisão, já os jantares da família são constituídos basicamente por congelados e fast-food.

Então, hoje o post que mais amo escrever é sobre The Middlle, uma série norte americana, que conta o cotidiano e o convívio de uma família sem luxos ou riquezas, eles são simples, mas trabalhadores, e foge muito dos típicos seriados que costumamos ver, sempre assistimos a séries onde encontramos famílias cheias de dinheiros e propriedades, mas está é diferente, encontramos uma família que passa por dificuldades financeiras como qualquer outra.

Frankie, a mãe da família é a personagem principal e também narra a história, é uma mulher trabalhadora que faz de tudo para o bem estar da família, cômica e as vezes trágica ela é que parece ser o elo entre os demais personagens, casada com Michael, um homem trabalhador e pai presente, pelo que podemos perceber na história, Frankie não foi apaixonada por ele desde o início, foi um amor construído, juntos tem três filhos, o mais velho, é representado, como o esteriótipo de irmão mais velho sempre sendo malvado com os mais novos, porém tem um bom coração e em muitos momentos demonstra se importar com Sue, sua irmã, ela é parece fracassar em tudo que tenta, não possuem qualquer vida social, mas tem um otimismo inabalável, o irmão caçula é Brick, ele é um menino bem diferente em comparação a outras crianças, adora ler, e é muito inteligente, mas se distrai muito fácil e isso atrapalha muito ele. A série possui 4 temporadas, cada uma com 24 episódios, mas infelizmente chegou ao fim em 2013.

Desculpem pelo atraso desta coluna, e até semana que vem, com a coluna de volta a terça-feira.

Anúncios

#LIVRO X FILME: Um Dia

Enfim, a última segunda-feira do mês, tomara que vocês estejam ansiosos para a coluna de hoje como eu estava. Vim falar sobre um livro que inspirou um filme com a minha atriz preferida Anne Hathaway.

Livro:

capaumdiaTítulo: Um Dia

Autor: David Nicholls

Editora: Intríseca

Páginas: 416

4,5

Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro.
Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas — vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois.
Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

Posso afirmar, que este é um dos romances mais tristes que já li, cheio de encontros e desencontros, Um Dia, te faz pensar sobre as escolhas que fazemos quando somos jovens e no que elas resultam quando nos tornamos adultos. O livro é narrado por dois pontos de vista, o de Emma e o de Dexter, ela uma garota ingênua e escritora frustrada, ele um boêmio com problemas familiares, entre idas e vindas, eles se casam com outras pessoas, casam-se entre eles, até descobrirem que nada é como planejamos.

Filme:

imagesDireção:  Lone Scherfig

Elenco: Anne Hathaway, Jim Sturgess, Patricia Clarkson

Gênero: Romance, Drama

4

O filme conta a história de Dexter e Emma, que se conheceram na noite em que eles se formaram na Universidade de Edimburgo em 1988 e concordaram em manter a amizade e visitar um ao outro na mesma data todos os anos para ver como estão suas vidas. Embora ambos passem por diversos envolvimentos românticos, eles têm uma ligação especial que não conseguem explicar.

Este é um filme, muito fiel ao livro, poucas coisas foram modificadas, e na realidade, em relação à história, quase nada mudou, apenas algumas cenas foram retiradas, por isso além do livro ser um dos que eu mais amo, o filme também é muito bom, e apesar da história parecer batida, “amigo e amiga juntos no final”, ela não é, o final é extremamente inesperado.

Até, amanhã.

#SERIADO: Dexter

Dexter

Órfão aos três anos de idade, Dexter Morgan é adotado pelo oficial de polícia Harry Morgan e sua esposa Doris. Após descobrir que o jovem Dexter esteve a matar animais de estimação na vizinhança, Harry passa a ver o jovem como umpsicopata, ensinando-lhe “O Código” como uma maneira de canalizar os seus instintos violentos contra pessoas que “merecem”. Neste código, as vítimas de Dexter devem ser assassinos que mataram inocentes, com propensão a continuar a fazê-lo. Dexter também deve reunir provas de que o criminoso é culpado. O aspecto mais importante, no entanto, é ele jamais ser apanhado. Diversos flashbacks durante a série mostram Harry, morto anos antes, instruindo Dexter em como parecer normal e cobrir os seus rastros.

Dexter segue o código religiosamente para satisfazer o seu Passageiro Sombrio (nome dado por ele a sua compulsão em matar) e, assim como muitos assassinos em série, guarda os seus troféus: antes de acabar com um malfeitor, Dexter faz uma pequena incisão com um bisturi na bochecha direita da vítima e recolhe uma amostra sanguínea, que ele preserva numa lâmina de vidro e guarda numa caixa escondida dentro do seu aparelho de ar-condicionado. Dexter é capaz de fingir emoções “normais” e manter a sua fachada de bom amigo e vizinho prestativo. Ele desenvolve, contudo, alguns relacionamentos pessoais, cultivando uma afeição pela sua irmã Debra. Inicialmente,ela desconhece o treino de Harry e os segredos de Dexter, sentindo por isso inveja do tratamento preferencial que o seu pai deu ao filho adotivo, mas nas últimas temporadas, “Deb” acaba tendo conhecimento do “passageiro-negro” de seu irmão após flagrá-lo em ação. Como parte do seu “disfarce”, Dexter namora uma mulher chamada Rita, traumatizada após anos de abuso nas mãos do seu ex-marido, Paul Bennet e, consequentemente, incapaz de qualquer intimidade com o atual namorado. Isto agrada Dexter, que acredita que tornar-se íntimo de Rita pode revelar-lhe o seu lado negro. Ele gosta de crianças em geral, mantendo assim uma boa relação com os dois filhos de Rita, Astor (Christina Robinson) e Cody (Preston Bailey) e posteriormente, com o seu próprio filho, Harrison.

Coluna de séries, é uma das que mais gosto de fazer, sempre procuro trazer de diferentes temas, para agradar todos os gostos, um dos meus critérios de posts, é NUNCA falar sobre algo que não assisti ou li (pelo menos, até a metade para saber o enredo e dar minha opinião), então, hoje vim contar sobre Dexter, foi durante bastante tempo um dos meus seriados preferidos, ele contém um assunto e também cenas muito fortes, mas não deixa de ser muito boa e triste.

Dexter, é um policial da área forense, especialista na dispersão do sangue, mesmo sendo um psicopata, o rapaz reconhece que não é algo certo, e seu pai conseguiu fazer ele que levasse este transtorno de personalidade para um lado mais justo, fazendo com que ele mate outros assassinos. Antes de ser adotado viveu um momento muito traumático (por sinal, uma das cenas que considero mais fortes ao longo da série), tem uma irmã adotiva, mas filha biológica do homem que o adotou, Debra Morgan, levou o pai como inspiração e por isso tornou-se policial , mas aspira ser detetive na divisão de homicídios.

Mesmo Dexter sendo um psicopata sem sentimentos, ao longo da série, ele acaba desenvolvendo afeições, principalmente, por Rita e seus filhos. Ela é uma mulher que sofreu muito nas mãos do ex marido, mas encontra com Dex, uma forma de recomeçar, ela é muito frágil e nem desconfia de qualquer coisa ruim que Dexter possa fazer.

A série foi gravada de Outubro de 2006 à Setembro de 2013, tem 8 temporadas, que somam 96 episódios no total, durante elas, Dexter muda muito de personalidade em diversos pontos, e sofre situações bem drásticas que influenciam muito em quem ele irá se tornar.

Abraços.

#FILME: Amizade Colorida (2011)

Amizade-Colorida-PosterDiretor: Will Gluck

Elenco: Justin Timberlake, Mila Kunis, Patricia Clarkson, Jenna Elfman, Bryan Greenberg, Nolan Gould, Richard Jenkins, Woody Harrelson

Gênero: Comédia Romântica

filme 5

Uma jovem recrutadora de Nova York convence um cliente em potencial a deixar seu emprego em São Francisco para trás e aceitar um emprego na Big Apple. Apesar de haver uma atração mútua, ambos percebem que tudo de que eles estão fugindo é de um relacionamento e decidem se tornar amigos… com benefícios. É o arranjo perfeito até que eles percebem que não há nada melhor do que estar amarrado.

Eu sou uma daquelas pessoas que não consegue acreditar que dois amigos de sexos diferentes (ou não!) possam continuar sendo somente amigos mesmo se uma dessas duas pessoas gostar da outra como algo mais romântico. O filme Amizade Colorida mostra isso muito bem.

A relação de amizade entre Dylan e Jamie inicia rapidamente, na verdade, logo que se conhecem. A sugestão que surge alguns dias depois, de que eles poderiam ser “amigos com benefícios”, ou seja, sexo sem sentimentos, parece funcionar bem. Ao menos no começo.

Amizade-Colorida-1

O que Dylan e Jamie não esperavam era que ao se conhecerem melhor os sentimentos pudessem mudar. Os sinais do romantismo aflorando são evidentes, mas quem não quer notar simplesmente os ignora, é o caso dos pombinhos.

O filme é muito bom, mexe com os sentidos da amizade e da paixão e os mistura de uma forma ótima para assistir.

[RESENHA] Sussurro, de Becca Fitzpatrick

SUSSURRO_1273777363B Título: Sussurro (Hush, Hush #1)

Autora: Becca Fitzpatrick

Editora: Intrínseca

Páginas: 264

5

Se apaixonar nunca foi tão fácil… ou tão mortal. Para Nora Grey, romance não era parte do plano. Ela nunca se sentiu particularmente atraída por nenhum garoto de sua escola, não importa o quanto sua melhor amiga Vee os empurre para ela. Não até a chegada de Patch.

Com seu sorriso tranquilo e olhos que parecem enxergar dentro dela, Nora é atraída por ele contra seu bom senso. Mas após uma série de acontecimentos aterrorizantes, Nora não sabe em quem confiar. Patch parece estar onde quer que ela esteja, e saber mais dela do que seus amigos mais íntimos.

Ela não consegue decidir entre cair nos braços dele ou correr e se esconder. E quando tenta encontrar algumas respostas, ela se acha próxima de uma verdade que é bem mais perturbadora do que qualquer coisa que Patch a faça sentir. Pois Nora está bem no meio de uma antiga batalha entre os imortais e aqueles que caíram – e, quando se trata de escolher lados, a escolha errada poderá custar sua vida.

Os leitores podem contar com suspense do início ao fim dessa história. O enredo gira em torno de Nora, uma garota que mora em uma casa muito afastada do centro da cidade e que “odeia” seu parceiro da aula de biologia, mas esse ódio não dura muito. Lá pela metade do livro a garota começa a aceitar a atração que sente por Patch.

O professor da aula de biologia cobra um trabalho de investigação onde Nora deveria entrevistar Patch para conhecê-lo melhor e vice-versa, mas a garota nunca imaginou que fosse tão difícil fazer Patch falar e acaba tendo que encontrá-lo fora do horário de aula para conseguir sua nota no trabalho. É assim que eles começam a se conhecer e quando Nora e Patch finalmente abraçam o sentimento que tem um pelo outro eles descobrem que a garota, Nora, está em perigo por causa das antigas ações de Patch.

O livro é um dos meus favoritos sobre anjos e anjos caídos. Mostra quem são os verdadeiros amigos e que às vezes, somente às vezes, a primeira impressão que temos sobre alguém pode ser real, mas que devemos tentar conhecer melhor as pessoas a nossa volta.

#FILME: O Homem que Copiava (2003)

O_Homem_que_CopiavaDireção: Jorge Furtado

Elenco: Lázaro Ramos, Leandra Leal, Luana Piovanni

Gênero: Comédia, Drama

4,5

André (Lázaro Ramos) é um jovem de 20 anos que trabalha na fotocopiadora da papelaria Gomide, localizada em Porto Alegre. André mora com a mãe e tem uma vida comum, basicamente vivendo de casa para o trabalho e realizando sempre as mesmas atividades. Num dia André se apaixona por Sílvia (Leandra Leal), uma vizinha, a qual passa a observar com os binóculos em seu quarto. Decidido a conhecê-la melhor, André descobre que ela trabalha em uma loja de roupas e, para conseguir uma aproximação, tenta de todas as formas conseguir 38 reais para comprar um suposto presente para sua mãe.

Gosto muito de filmes brasileiros, por isso, a minha coluna de hoje é sobre um dos meus prediletos, O homem que copiava, não é só engraçado, ele também conta uma história muito triste, o personagem central causa extrema comoção, pelo menos na minha pessoa, e o filme traz uma fotografia incrível e foi todo filmado na capital mais linda do Brasil, Porto Alegre ( ❤ ).

O filme conta a história de André, um rapaz pobre que vive com a mãe, ótimo desenhista demonstra seus pensamentos através dos rabiscos, trabalha em uma papelaria e lá decide fazer copia de uma nota de 50 reais, para conseguir comprar alguma coisa na loja em que sua vizinha Silvia trabalha, ele é apaixonado pela garota, e entra tentar conquistar a vizinha e outras peripécias pelas quais André passa, ele percebe que precisa sempre de amigos ao seu lado.

É um filme forte, que trata de um tema bastante polêmico, mas não deixa de ser romântico e de certa forma inspirador.

[RESENHA] A menina que colecionava borboletas, de Bruna Vieira

1022-zoom_20140110164706

Título: A menina que colecionava borboletas

Autor: Bruna Vieira

Editora: Gutemberg

Páginas: 152

3

Bruna Vieira está cada vez mais longe dos quinze, e sabe que crescer nunca é tão simples. Considerada uma das blogueiras mais influentes do mundo, mais uma vez ela dá vazão ao seu talento como escritora com este seu novo livro de crônicas e pensamentos, em que mostra o quanto amadurecer e conquistar a independência é maravilhoso, mas tem seus desafios e poréns. A garota do interior que usa batom vermelho e que realizou seus maiores sonhos continua inspirando adolescentes de todo o país. Para ela, as páginas deste livro significam o bater de asas das borboletas que colecionou dentro do peito por algum tempo e que agora, finalmente, pode deixar que voem livres por aí.

Olá, acredito que nunca escrevi por aqui sobre algum livro de escritor brasileiro, e como gosto muito de dar o devido valor a cultura do meu país, hoje a coluna é sobre um livro de uma mineira muito simpática e atualmente uma das minhas escritoras preferidas. O livro que escolhi é “A menina que colecionava Borboletas.”

O livro é feito de contos com experiencias e algumas histórias e particularmente o meu preferido leva o nome de “De madrugada”.

Não tem muito o que falar de um livro de contos, apenas que as histórias são cercadas de amor e conselhos, por isto é um dos meus livros preferidos, espero que leiam e gostem.

Deixem sugestões nos comentários, beijos!